Um pouco sobre entidades modernas e A Zueira

Salve, salve, seres humanos, entidades e conceitos antropomorfizados.

Algumas questões facebookianas sempre surgem num loop infinito de confusão retórica e, além de me divertir muito, levantam questões interessantes sobre coisas que eu gosto de chamar de “Entidades Modernas”.

Na verdade esse termo é uma piada interna meio velho e confusa demais para explicar como foi criado, mas vou tentar explicar do que se trata.

Eu chamo de entidade, qualquer conceito, ou grupo, que, por qualquer que seja o motivo, acaba sendo tratado como ator principal, ou sujeito agente de uma ação.

“Ciência descobre que…”

 

A criação dessas entidades não é uma exclusividade moderna, pois ocorre desde sempre (não, não fiz uma pesquisa para dizer isso), e isso faz parte da formação da língua com a criação de algumas palavras criadas, única e exclusivamente, para se referir a grandes entidades conceituais como O Estado, A República, A Democracia e O Clero, por exemplo.

“A Igreja matou muito na idade média”

 

O curioso das entidades modernas é que, em grande parte, elas surgem de maneira muito difusa, em especial nas redes sociais, criando umas coisisnhas muito divertidas de se observar.

Transformaram o termo “de boa”, que quer dizer rigorosamente nada, em uma pseudo-religião chamada Deboísmo e isso é maravilhoso, só para dar um exemplo.

deboismo66003

 

“Ta bom menino Vulto, mas por que você resolver falar disso?” – você pergunta

Recentemente, em algumas conversas pessoais, eu fui compelido a pensar em como seria uma boa definição para o termo “zueira”.

Apesar de saber que é uma grande bobagem, eu, como ex-quase-matemático, sei que conceituar/definir coisas que parecem muito óbvias e claras é mortalmente difícil e, não pude deixar esse desafio passar.

Para chegar na conclusão que eu queria eu precisava conceituar o que eu chamo de entidades modernas, e é por isso que eu fiz essa enrolação toda.

Então para acabar, eu tento des-humildemente fazer uma definição.

“O que é a zueira?”

 

Segue a definiçãozinha que eu escrevi.

A zueira é um neologismo forte na internet e, quando usada como substantivo, representa uma entidade moderna que abrange ações de desconstrução do sério em virtude do bom humor. Uma espécie de encarnação pós moderna de Loki. Frases como “Não se pode vencer A zueira” e “A zueira não tem limites” ilustram esse fato.

 

Se você não tem nada para fazer e quiser pensar em outra definição melhor, fique à vontade para deixar na área de comentários.
Curta a fanpage, siga no twitter.
Um abraço.
E tchal.



Vulto

Desprezível.

Você pode gostar...