Histórias em Quadrinhos na Educação (livro) – resenha

Salve, salve, seres humanos da terra.
Já faz um tempo que chegou para mim o Histórias em Quadrinhos na Educação, livro do Fábio Paiva que foi financiado através do Catarse. Fiquei na dúvida se lia como livro ou como quadrinhos (acredite, para minha cabeça demente, isso faz diferença) e acabei enrolando. Enfim. Agora li e aqui vai minha resenha.

Histórias em Quadrinhos na Educação (livro) – resenha

Histórias em Quadrinhos na Educação

 

O livro é o resultado da pesquisa para a tese de doutorado do autor e tem o formato de uma tese de doutorado com algumas tirinhas extras.

O primeiro capítulo fala da história das histórias em quadrinhos, voltando ao final do século 19 com Nho Quim e Yellow Boy, passando pelas tiras de jornal, chegando na era heróica e passando pelo comics code authority. Fala também da história das hqs no brasil, passando pela revista Gibi, o surgimento da Turma da Mônica, Graúna e Menino Maluquinho também.

É um capítulo muito elucidativo para quem quer saber mais da história dos quadrinhos. Um capítulo que vai ficar aqui do meu lado como fonte de consulta.

O segundo capítulo já começa a falar das histórias em quadrinhos na educação em si. Fala sobre as publicações de História do Brasil em quadrinhos, e de como os quadrinhos foram institucionais usados pelo governo dos Estados Unidos como manuais militares em quadrinhos.

Esse segundo capítulo pode ser um pouco chato para quem não é da área de educação, meu caso, mas traz algumas curiosidades para os entusiastas das hqs. Nunca que eu ia imaginar o caso da linguagem de hqs sendo usadas em manuais do exército do Tio Sam. Interessante.

Terceiro capítulo vai, finalmente, falar da pesquisa em si. Tem uma parte de metodologia, que é importante para o trabalho enquanto trabalho acadêmico, mas é chato para quem é de fora da academia.

Uma parte interessante desse capítulo é quando o autor levanta que as crianças conseguem entender o conceito dos quadrinhos, de arte sequencial, mesmo antes de aprender a ler. Nunca tinha pensado nisso.

Nesse capítulo também o autor faz um levantamento do uso de tirinhas e trechos de hq no Enem dos anos de 1999 até 2008, e a relação entre a escolha desse recurso para as questões e a aceitação da mídia pela classe docente.

Tanto no começo, quanto no fim do livro tem umas páginas em quadrinhos com artistas convidados. Bem legais mesmo.

Em resumo: É a primeira vez que eu falo de um livro com essa pegada acadêmica, o que é diferente pra mim. Não é um livro que eu recomendo para todo mundo. Mas é um livro muito bom no que se propõe. Um baita livro para quem quer saber mais das histórias em quadrinhos e para a galera da área de educação.

O livro saiu pela editora Quadro a Quadro. Não sei se está disponível a venda.

Então é isso. Livro legal pra caramba. Recomendo.
Deixe sua opinião aí nos comentários.
Curta a fanpage, siga no twitter e no instagram.
Compartilhe esse post.
Um abraço.
E tchal.





Vulto

Desprezível.

Você pode gostar...

Pin It on Pinterest