LOG #1525, por B. Demetrius (livro nacional) – resenha

Salve, salve, seres humanos e inteligências artificiais implantadas da terra.
Na primeira metade de maio eu recebi um livro de um amigo autor, o Bruno Demetrius. Trata-se de seu livro de ficção científica o LOG #1525. Demorei para ler por que ainda estava lendo o Deuses Americanos, mas finalmente terminei o livro e aqui está a minha resenha.

LOG #1525

Log #1525

“LOG #1620C
Se você está lendo isso é porque provavelmente esse maldito cubo de gelo gigante me venceu.
Ou pior! Virei motivo para masturbações mentais dos burocratas da companhia. Merda!
O treinamento espacial na Amazônia, os anos na ‘geladeira’ nos confins do sistema solar, minha ex-mulher – nada me preparou para isso. Nada!
Acordei sob os destroços de um pod de sobrevivência, em um planeta gelado e escuro. Estou com uma puta ressaca de hipersono, um gosto horrível de metal na boca e essa desgraça de implante cibernético na minha cabeça não para de falar! É a mesma coisa que ter uma velha com Alzheimer com acesso garantido aos meus pensamentos.
Trabalho fácil, pagamento gordo e um contrato com letras bem miúdas. Claro que eu iria me ferrar, claro! Droga, tudo o que eu queria agora era um café…”

Essa é a introdução da contracapa do livro. Em resumo a história é a seguinte: Tem um cara em um super cargueiro especial, ele é acordado do hypersono por que aconteceu algum problema. Antes de identificar qual o problema ele se conecta com a nave através de um novo sistema de inteligência artificial chamado BORIS. Ele entra em sono novamente como protocolo de emergência e algo acontece. Ele acorda em um planeta gelado, sozinho, em um pod de sobrevivência, em um planeta inóspito e sem comunicação. Assim começa a saga do sobrevivente, toda registrada em logs.

 

#LOG #1615
Este lugar é gelo puro, frio e escuro. Acredito ser pleno dia e a luminosidade máxima lembra o anoitecer em Terra. Muito pouca luz. Como alguma coisa pode sobreviver aqui? O que me faz pensar em uma coisa pior. O que será que vive aqui?…

 

O que eu achei? É um livro bem escrito. Tem uma história interessante e funcional. Vale bem a pena a leitura. Recomendo.

Vou comentar algumas coisas que não me agradam, mas mantenha em mente que, apesar desses pontos, eu gostei do livro.

Meu principal incômodo é com a displicência dos logs. Não sei se foi falta de atenção da minha parte, mas não me pareceu suficientemente claro como os logs são feitos. Em alguns momentos, me parece que, os logs são feitos em momentos específicos através de uma ativação, mas isso não explicaria alguns logs em momentos muito críticos. Em outros momentos parecem que os logs acontecem muito mais como um processo mental, mas isso torna estranho a falta de alguns logs que seriam muito importantes.

Entenda, de uma forma geral, eu não ligaria para isso, mas o nome do livro é Log #1525 e os logs são o objeto principal do livro, então, nesse caso, eu esperava um pouco mais de critério nesse aspecto. E, sim, esse é meu lado cientista sendo mortalmente chato.

Tirando esse detalhe, outros problemas são bem menores. Alguns termos técnicos foram usados de forma meio displicente. Tem muitas partes focadas em comida, me deu um pouco de preguiça. Em algumas partes os diálogos entre o personagem e o BORIS, nos quais você só ouve a parte do protagonista, são meio incômodos pela falta de informação. Em alguns momentos o protagonista tem que ficar fazendo perguntas para dar a entender o que o BORIS ou algum sistema está dizendo e isso é meio chato.

“LOG#1605
… Autorização! De Comando! Boris! Pai?! Computador?! Hipertubo? Boris! Pai!? Ejeção de Emergência? Erro Crítico no Reator? Suporte de Vida contaminado? Pods?! Não, não, não, não!”

 

Voltando para os pontos positivos para eu não ficar só como o chato que reclama.

O clima de tensão do livro funciona muito bem. Em muitos momentos você acha que “não vai da pra esse cara sobreviver não”. Tem várias referências bem legais à cultura pop, você vai perceber. O modelo que o autor usa nos relatórios de sistema é bem legal (não é um modelo que eu usaria, mas é legal ainda assim).

Os capítulos são curtos o que dá uma dinâmica muito boa para a leitura.

O final é legal, mas meu lado conspiracionista esperava um pouco mais. E isso é o máximo que eu posso comentar sem dar spoiler.

Então é isso. Log #1525 é um livro legal para caramba. Eu não gostei de algumas coisas, mas é isso aí. Eu nunca gosto de tudo.
Minha avaliação final é: Recomendo. Ficção científica brasileira muito bem escrita e funcional.
Curta a fanpage, siga no twitter e no instagram.
Deixe aí seu comentário.
Compre. Leia. E financie a literatura nacional.
Um abraço.
E tchal.

Post publicado originalmente por mim no Portal Cultura Nerd e Geek





Vulto

Desprezível.

Você pode gostar...

Pin It on Pinterest