Champions #1 – review

Salve, salve, seres humanos super heroicos e adolescentes.

Saiu esses dias a primeira edição de Champions, a nova equipe de heróis adolescentes da Marvel. Como tem a Miss Marvel Kamala Khan, é claro que eu li e esse é o meu review.

Champions #1 – review

champions

 

A história começa com Kamala Khan comendo com sua família, que comenta que ela está passando mais tempo com a família. Ela diz que deu um tempo em suas atividades “extra curriculares”. E começa um flashback.

Cinco dias antes, os Vingadores estão enfrentando a Gangue da Demolição e salvando um trem que havia caído dos trilhos. No fim da batalha, é mostrado a população “comum” xingando os super heróis e dizendo para que eles levem suas brigas para longe.

Miss Marvel quer ajudar a reconstruir, mas o Capitão América diz que nenhum deles é engenheiro e não podem fazer nada. Eles discutem e Miss Marvel vai embora:

champions-2016-001-006

 

De volta ao tempo atual, Kamala olha para seu uniforme abandonado e fique triste cabisbaixa. Ela convoca o Nova e o Homem Aranha Miles Morales para um encontro.

Eles acham que ela vai chamá-los para voltar para os Vingadores, mas ela conta que saiu dos Vingadores. Ela começa um discurso e com sua fofura infinita convence os dois que os heróis adultos só tem feito bosta (ver Guerra Civil II) e que os heróis novos podem mostrar pro povo como eles vêm o mundo. Miles diz que conhece um cara.

miss-marvel-e-homem-aranha

 

Eles vão atrás do Hulk Amadeus Cho (lembremos que Bruce Banner morreu em Guerra Civil 2) que está tentando salvar um grupo de mineiros que estavam soterrados em uma mina. Eles conseguem salvar todos os mineiros sem nenhuma baixa.

Eles ajudam a consertar a mina e seguem para encontrar mais uma pessoa:

champions-2016-001-017

 

Eles visitam a casa do Visão (sim, o Visão tem uma família e mora numa casa suburbana. Vejam a série dele) para falar com Viv, a filha do Visão.

Eles conversam um pouco, ficamos sabendo que o Hulk e a Viv se conhecem de um jogo online. Eles querem convidar ela para equipe e contar com as habilidades dela de estar sempre conectada e pode servir como central de informação identificando ameaças. Ela escolhe a mais problemática e mostra na tv.

champions-2016-001-020

 

Em um estaleiro em Baltimore, um vilão novo e irrelevante chamado Pagliaci está tentando vender as garotas raptadas. A equipe chega para prender todo mundo.

Começa uma porradaria e os vilões são rapidamente derrotados, mas Pagliaci explode a corrente que está segurando o container com as garotas. O container caí no mar.

Viv tranquiliza as garotas enquanto Nova e o Hulk as salvam. Eles rasgam o container e todas as garotas estão à salvo. Exceto uma.

champions-2016-001-028

 

O Hulk bate no cara e as pessoas que estão por ali filmando começam a gritar para que ele mate o bandido.

Ele parte para cima, mas a Miss Marvel consegue fazer ele com que ele pare. Ela faz um discurso sensacional sobre fazer justiça, mas não tomar o caminho mais fácil. Enquanto ela discursa várias pessoas gravam e vários heróis jovens são mostrados (O novo Falcão, a nova Vespa, Riri Williams a nova Homem de Ferro, a Moon Girl e o Ciclope do passado).

Ela termina o discurso com “Ajudem a nos tornar Campeões” e a história termina assim:

champions-2016-001-032



 

Fim da edição

O que eu acho? Uma equipe com Miss Marvel, Miles Morales, Viv e o resto já é uma delícia conceitual por si só. Não bastante, a história trás de volta a good vibe de um grupo de super heróis bem intencionado e que tem a capacidade de inspirar o povo. É tudo que uma história de super heróis sempre deveria ser. Esperança.

Isso vem no contrapé do que vem acontecendo com os heróis adultos e a enorme batalha de egos e falta de bom senso que foi Guerra Civil 2.

A arte é bem legal e os diálogos são maravilhosos. Eu passei por cima do discurso da Miss Marvel, mas leiam. É maravilhoso.

Resumindo. Eu adorei. É bem provável que essa seja a minha série preferida da Marvel em breve. Recomendo MUITO!

Roteiro: Mark Waid
Arte: Humberto Ramos com arte final de Victor Olazaba
Cores: Edgard Delgado

É isso galera. Se você não confia em mim, confie no Mark Waid.
Leia a revista que é muito boa e deixe aí o seu comentário.
Curta a fanpage, siga no twitter.
Um abraço.
E tchal.

Vulto

Desprezível.

Você pode gostar...