De Dentro da Couraça, por Gabriel Jardim (hq nacional) – resenha

Salve, salve, seres humanos da terra.

Passando para falar de uma hq nacional que também foi apoiada pelo catarse, mas chegou há muito tempo, na época em que eu não tinha o hábito de fazer resenhas de tudo que chegava. Resolvi fazer a resenha agora mesmo. Vamos lá.

De Dentro da Couraça – resenha

De Dentro da Couraça capa

 

De Dentro da Couraça é uma hq tão curtinha e tão singela que é até difícil falar mais do que a sinopse sem dar spoiler. A sinopse é a seguinte:

Um cara chamado Otto, que está em uma festa e precisa descer para buscar pizzas, e uma menina chamada Aimée, que está indo para sua apresentação para o ballet, ficam presos em sum elevador e começam a conversar.

E é isso. Só isso. Simples assim. É uma história baseada em diálogo.

O que eu achei? A história é legal e bem sensível em sua simplicidade. A arte é muito bonita e os diálogos são muito bem escritos. É uma hq que foge do padrão por não ter um conflito, é uma história de duas pessoas forçadas a conviver por algum tempo, que acabam conversando. Uma história sobre uma conversa. É bonito e é muito bem feito.

Uma das coisas que mais me agrada nessa revista é o uso das palavras que comumente não se vê. O autor é filho de pais pernambucanos (é o que está escrito na orelha, eu não o conheço) e tem muito do linguajar nordestino, que é quase um idioma próprio e digo isso com todo o respeito. Isso é sensacional por ser diferente quando não deveria ser. Muito legal.

O que mais me agradou mesmo é a forma como o autor usa o silêncio para contar a história nas páginas. Os olhares, os gestos e até o corte dos quadros contam tanta coisa, ou até mais, do que os balões de fala.

Os personagens são interessantes, em especial a Aimée, que tem algumas características que me fizeram me identificar. A história, de forma geral, me toca por me lembrar de uma história pela qual eu passei. Um evento inesperado me deixou sozinho com uma garota uma vez e nós conversamos simplesmente por que sim. Essas coisas acontecem, não todos os dias, mas acontecem. Isso é que é legal.





Roteiro e Arte: Gabriel Jardim

Gabriel Jardim está com mais uma hq em financiamento coletivo. Uma hq chamada Matrioska que parece estar bem legal. Confira lá e, se puder, ajude a financiar. Eu já apoiei.

Se você gosta de quadrinhos nacionais, veja também esses outros posts:
Cosmogonias, por Cadu Simões
665 A Vizinha da Besta, por Thiago Holsi
Persistente, por Bianca Reis
Mare Rosso, por Chairim e convidados
Cerulean, por Catharina Baltar

Então é isso. Uma hq simples e bacana. Uma leitura leve e agradável.
Leiam, Comprem e Financiem o quadrinho nacional.
Deixe aí seu comentário.Curta a fanpage, siga no twitter.
Compartilhe esse post.
Um abraço.
E tchal.

post publicado originalmente por mim em Cultura Nerd e Geek

Vulto

Desprezível.

Você pode gostar...