Senhor das Estrelas #1 – review

Salve salve seres humanos das Galáxias.

Continuando a série de reviews de edições #1 do All New All Diferent Marvel.

Dessa vez vamos de Star Lord #1.

star-lord_1_cover-copy-jpg

Antes de começar de fato esse review é importante falar que recentemente houve uma série chamada Star Lord e Kitty Pride, onde o Senhor das Estrelas e a Kitty namoram e tem umas aventuras espaciais. Eu não li essa série, mas é importante dizer que na série nova dos Guardiões da Galáxia, Peter Quill assumiu a liderança do planeta onde o pai dele era rei e a Kitty quem está na liderança do grupo como Star Lady.

Dito isso vamos para a história em si.

Star-Lord (2015-) 001-001 cópia

Senhor das Estrelas #1 volta no tempo para recontar/reticoniar/rebootar o passado do jovem garoto Peter Quill.

Na primeira página a mãe do Quill morre e ele fica sozinho no mundo.

A história principal se passa 8 anos depois. Graças a amiga de sua mãe, Comandante Chang da a, Peter conseguiu um trabalho como mecânico. Nas horas vagas ele faz testes não autorizados no simulador de vôo.

Star-Lord (2015-) 001-005 cópia

 

O objeto que leva a história é uma Nave de Guerra Kree cedida pelos Vingadores para estudos da NASA. A grande questão é que a tal nave possui um motor de dobra capaz de fazê-la acessar o hiperespaço, mas ninguém sabe como fazê-lo funcionar.

Por conta disso os astronautas da NASA ficam tentando fazer a nave funcionar através de testes completamente aleatórios. Numa dessas Peter mostra ser o espertão.

Star-Lord (2015-) 001-008 cópia

Star-Lord (2015-) 001-009 cópia

 

É claro que ninguém da moral pra ele. Peter e um dos astronautas, Isaac, zomba dele e acaba levando um socão na cara. Peter toma uma comida de rabo fenomenal da Comandante Chang e é removido do program Asterion 1, que é o nome da Nave de Guerra Kree, mas antes de sair ele consegue roubar a chave da escotilha externa da nave.

Star-Lord (2015-) 001-013 cópia

 

De posse da chave que ninguém deu falta, Peter consegue roubar a nave com uma facilidade sensacional e logo é perseguido por caças pilotados por astronautas que deviam estar de plantão ou algo assim, mas antes de ser derrubado ele faz o procedimento que ele achava que daria certo e consegue acionar o motor de dobra.

Star-Lord (2015-) 001-019 cópia

Depois disso a nave da pane e a edição acaba com o jovem ladrão Peter Quill à deriva no espaço em uma nave desligada.

Fim da primeira edição.

O que eu achei? Bom eu não conheço o Senhor das Estrelas nas HQ’s, ele pode ser assim mesmo, mas eu acho muito difícil gostar de um personagem nervosinho que fica batendo nas coisas. Além disso a história tem problemas de roteiro. Essa coisa da chave da nave, da perseguição de caças, do Peter Quill ser a pessoa mais sagaz da NASA e da estranha necessidade de citar Tony Stark o tempo todo me deu um pouco de preguiça na leitura.

Uma coia boa é a diversidade, tem muitas mulheres astroautas nessa HQ (apesar de que elas quase não tem falas), tem um negro, e a chefona é uma mulher asiática também. Achei interessante.

No fim, não achei a revista ruim a ponto de não querer ler a sequência, mas também não entra na minha lista de prioridades. Achei bem mais ou menos.

Roteiro: Sam Humphries
Arte: Javier Garron
Cores: Antonia Fabela e Frankie D’armata

É isso. Comentem aí.

Um abraço. E tchal.

Vulto

Desprezível.

Você pode gostar...

  • Boa matéria, mas acho que poucas coisas dessa all new vão valer mesmo serem lidas. Uma pena…

    • Tem muita coisa mais ou menos, mas tem umas paradas com umas equipas legais. Recomendo a Poderosa Thor do Jason Aaron, a Miss Marvel da G. Willow Wilson e o Capitão America, Sam Wilson (não lembro o autor agora). Todos já tem review aqui no site.

      Muito obrigado pelo comentário e pela curtida.
      Volte sempre

    • Ah sim. Se puder dar uma compartilhada também é sempre uma grande ajuda.