Thanos #1 – review

Salve, salve, seres humanos e titãs loucos da terra e do espaço.

A resenha de hoje é de um personagem que está em alta por causa do universo cinematográfico da Marvel, ele o Titã Louco, o maior emo da galáxia, THANOS!

THANOS #1 – Resenha

 

Não vou fazer background dessa vez por que eu nem tenho muita certeza de qual Thanos é esse. Eu sei que o Thanos que estava em Guerras Secretas (Thanos do universo Ultimate) ficou perdido em uma espécie de limbo. Ele conseguiu sair desse limbo na revista dos Supremos e chegou na Terra no começo de Guerra Civil 2. Em algum momento ele foge.

Eu não sei se esse é o único Thanos desse universo, ou se já tinha um Thanos normal e esse novo, que veio do limbo é outro. É uma bagunça, eu sei. Mas ignore, nada disso é citado nessa primeira edição pelo menos. Essa parece ser uma história bem simples. Vamos para a resenha.

A história começa mostrando um lugar sombrio chamado Quadrante Negro, onde ficam um grupo de mercenários chamados de Ordem Negra, que tem uma Torre Negra, onde vive o Mestre Negro Corvus Glaive. A narração conta que ele era servo de Thanos, mas agora ele é o mestre do Quadrante Negro.

Até que…

 

Depois disso vêm várias páginas com o Titã Louco enfrentando um exército e enquanto isso temos uma outra história rolando em paralelo. Do outro lado da Galáxia, um campeão procura uma raposa. No caso o Campeão é um cara chamado Tryco Sllaterus, um dos vários personagens cósmicos da Marvel quase desconhecidos que ninguém lembra, que se autodenomina O Campeão do Universo. A raposa obviamente é o Starfox, que é irmão do Thanos.

Eles conversam um pouco e o Campeão revela que a presença de Starfox é requerida por Thane, o filho do Thanos. Enquanto isso, no Quadrante Negro, Corvus Glaive cai na porrada com Thanos e apanha miseravelmente.

 

Do outro lado da Galáxia, Starfox e o Campeão continuam conversando. O Campeão revela para Starfox que Thane está planejando matar Thanos e que acredita precisar de Starfox para isso.

Enquanto isso na lua de Titã, Thane conversa com a Morte. Eles dizem que Tryco encontrou Starfox e que o plano está andando, mas mesmo assim Thane tem dúvidas. A Morte tranquiliza ele e diz que tudo vai dar certo e que ela garante isso por que ela sabe de algo que ninguém mais sabe. Ela sabe que o inimaginável está acontecendo. Ela sabe que…:

Thanos está morrendoFim da edição.

O que eu achei? Eu nunca fui muito fã do universo cósmico da Marvel, sempre achei tudo muito megalomaníaco e explosivo, e isso se deve especialmente ao próprio Thanos e suas sagas intermináveis onde ele alcança o poder de mudar todo o universo, enfrenta a própria Eternidade e depois perde de um jeito imbecil. Porém, dessa história eu gostei.

Eu gostei por que, por mais que o Thanos seja poderoso, nessa edição ele é poderoso pé no chão, trocando porrada com tanques e exércitos e a coisa toda. A história tem duas linha guia que já tem uma ligação clara e me parece muito simples, frente às atuais sagas malucas e incompreensíveis da Marvel.

A arte do Deodato, que é brasileiro, está animal, especialmente nas cenas de porradaria do Thanos, e os diálogos estão bem legais também. Achei bem funcional como primeira edição.

Roteiro: Jeff Lemire
Arte: Mike Deodato
Cores: Frank Martin

Concluindo: Boa história, vale a pena ler e parece ser uma boa pedida para quem quer chegar no cinema para ver Vingadores: Guerra Infinita conhecendo um pouco do Thanos.

Ah sim. Eu não sei quando isso aconteceu, mas a Morte deixou de ser uma caveira de manto e agora é uma mulher que parece humana e com poucas roupas. Se alguém souber quando isso aconteceu, deixe aí nos comentários.





 

É isso. Leiam e comentem aí.
Curta a fanpage, siga no twitter.
Um abraço.
E tchal.

post publicado originalmente por mim no Portal Cultura Nerd e Geek


Vulto

Desprezível.

Você pode gostar...

Pin It on Pinterest