Ressurrxion: X-Men Prime #1 – review

Salve, salve, seres humanos e mutantes da terra.

Esses dias saiu um anúncio de uma nova fase para os X-Men e para o universo X como um todo, uma nova fase chamada Ressurrxion. Eu fiz um post explicando as revistas e agora é hora de falar da revista que abre essa nova fase.

X-Men Prime #1 – review

A história começa com a Kitty Pride de volta à terra ensaiando como bailarina (antes disso ela estava no espaço, como Star Lady junto com os Guardiões da Galáxia) quando a Tempestade chega para falar com ela. Ororo conta o que rolou em Inumanos vs X-Men (que eu não li) e que ela se culpa pelas escolhas ruins que tomou durante o conflito. Ela quer que Kittie volte por que ela quer sair dos X-Men.

Em Madripoor, Lady Letal tenta entrar no país na maciota, mas acaba tendo que se revelar para matar uns caras escrotos. Chegando na praia do país ela é encontrada por uma mulher que quer contratá-la para matar uns mutantes. Ela atravessa a mulher e é atingida por um míssil. A mulher sobrevive, mesmo com um furo no peito, e eles sequestram a Lady Letal para uma espécie de equipe, que vai ser a equipe daquela revista Arma X: Lady Lethal, Domino, Dentes de Sabre, Logan velhão e um outro cara que eu não conheço.


A Kittie é levada para o Limbo para ver como está mansão Xavier, onde ela reencontra uma galera. Ela vai até a sala de perigo onde os X-Men novinhos (a equipe original que foi trazida para o nosso tempo pelo Fera) estão treinando. Rola uma dinâmica entre eles que eu não vou detalhar aqui. Em resumo: A Jean agora é a líder e fica puta da cara com o Anjo e o Ciclope tentando salvá-la.

A Kittie acha a situação perigosa e chega para falar com a equipe. Ela descobre que tudo aquilo é, na verdade, uma gravação mental. A equipe dos novinhos pretende voltar para sua realidade e preferem fazer isso sozinhos, fugindo da mansão para ter a sua própria história. Essa vai ser a equipe da revista X-Men Blue.

Kittie encontra com Illyana, a Magia, uma das suas melhores amigas. Mesmo relutante com a possibilidade de assumir a liderança dos X-Men ela já tem uma ideia do que quer fazer e a Illyana, como Maga Suprema do Limbo, faz parte disso.

Depois disso ela faz um discurso para os X-Men. Ela não quer mais que os X-Men sejam vistos como mutantes, nem como monstros, nem como homo superior, mas sim como heróis.

A história acaba com a mansão Xavier sendo realocada para o Central Park e com a Kittie Pride, agora líder, convencendo a Tempestade a permanecer na equipe.

Fim da Edição




O que eu achei? É uma história procedural. Uma daquelas histórias que tenta dar um resumão do que aconteceu aqui, o que vai ser essa nova fase, e que tem os gatilhos do que está por vir.

Eu gostei no geral do roteiro, acho que está bem escrito. A arte está bacana e acredito que essa nova fase promete. A revista Arma X me parece que vai ser meio caída, mas as outras que foram iniciadas, X-Men Gold e X-Men Blue já me interessam. Estou realmente curioso para ver o que vai ser daquele título Geração X. Agora é esperar.


Então é isso. Quero acreditar que essa nova fase dos mutantes vai ser bem legal. Dedos cruzados.
E você? O que acha? Existe esperança? Qual das revistas você quer ver?
Deixe aí seu comentário.
Curta a fanpage, siga no twitter.
Compartilhe esse post.
Um abraço.
E tchal.


Vulto

Desprezível.

Você pode gostar...