International Iron Man #1 – review

Salve, salve, seres humanos da terra.

Depois de dois reviews seguidos falando de Liga da Justiça, hoje eu vou falar de uma hq da Marvel, a Homem de Ferro Internacional #1.

International-Iron-Man

Logo na contracapa da revista, onde é feito uma recapitulação de quem é o Homem de Ferro, para caso alguém não saiba, é acrescentado uma informação muito relevante que eu não conhecia.

“Recentemente, Tony descobriu que as pessoas que o criaram não eram seus pais biológicos”

Isso deve ter acontecido em Invencível Iron Man, a outra série mensal que continua pelo menos até o final do ano.

International-Iron-Man-2016-001-002

Nessa edição vemos o Homem de Ferro caído enquanto outros caras com armaduras menos tecnológicas discutem se ele está ou não morto.

Na página seguinte começa um flahsback dos tempos de universidade de Tony Stark. Ele está numa festa onde as pessoas estão cantando o hino do Manchester United e conhece uma garota. A garota é fodona na briga e eles saem da festa.

International-Iron-Man-2016-001-005

Eles conversam bastante, e ela diz que seu nome é Cassandra Gillespie, filha de um empresário americano fodão que tem alguma treta com o pai do Tony, e uma ginasta sinistra. Ele apanha dos seguranças dela.

Depois disso eles ficam se esbarrando na universidade e conversam, e conversam e conversam mais um pouco até que ela o convida para jantar com seus pais.

Eles jantam com os pais dela tendo aquela conversa ácida chata de gente rica que eu não vou ficar descrevendo aqui e quando estão se despedindo são atacados por homens da Hydra.

International-Iron-Man-2016-001-014

 

Várias pessoas tomam tiros num tiroteio muito louco. A polícia chega e a narrativa corta de novo para o período atual nessa cena aqui:

 

International-Iron-Man-2016-001-020




 

Fim da edição

O que eu achei? Apesar de eu ter passado rápido pelas conversas e não ter descrito o tiroteio, são cenas legais e valem a pena. No geral a série deve correr em paralelo mostrando o passado e como a menina Cassandra virou uma super vilã badass de tapa olho do mal e revelando esse monte de coisas que essa primeira edição deixou em aberto.

Em geral eu nunca fui fã do Homem de Ferro, mas devo começar a ler agora para entender como a nova Homem de Ferro, Riri Williams, vai ser inserida nesse universo.

Como primeira edição ela foi suficiente bem em mostrar do que vai se tratar essa série, mais ou menos, e deixou um cliffhanger legal. Acho que vale a pena continuar lendo.

Roteiro: Brian Michael Bendis
Arte: Alex Maleev
Cores: Paul Monts

Leiam a resvista se puderem. Comentem aí.
Curta a fanpage, siga no twitter.
Um abraço.
E tchal.

post publicado originalmente por mim no portal Cultura Nerd e Geek


Vulto

Desprezível.

Você pode gostar...