Space Ghost #1 (quadrinhos) – resenha

Salve, salve, seres humanos da terra e raças alienígenas de todo o universo.

Hoje eu quero falar de mais uma hq da série de parcerias da Hanna Barbera com a DC. Hoje eu quero falar do remake de SPACE GHOST!

Space Ghost #1 – resenha

Space Ghost #1 cover

A história começa mostrando o personagem chamado Thadeus Bach. Ele é um pacificador, que é basicamente um policial porradeiro que espanca bandidos. Na cena seguinte vemos Bach em casa e somos apresentados à sua esposa Elua, que está grávida. Eles conversam e ela diz que ele vai ser elevado a oficial especial no dia seguinte.

No dia seguinte acontece uma cerimônia onde os alguns dos Pacificadores, incluindo o Bach, são elevados e se tornam a nova turma de Eidolon. Na cena seguinte temos um treinamento ao estilo Tropa de Elite onde os melhores se esforçam para se tornarem Eidolon.

Ele continua o treinamento até que um dia o Capitão diz que ele está graduado e que o quer no IRA, o grupo de elite mais elite ainda dentro dos Eidolon. Os melhores dos melhores. Ele conta para a esposa e tudo indica que a galera do IRA costuma morrer logo ou “se aposentar” bem cedo.

No dia seguinte, Bach é apresentado para o sua nova equipe, um bando de gente mal encarada.

Na primeira missão eles interagem com um contrabandista do mal. O Capitão assassina o cara a sangue frio e eles roubam as armas e o dinheiro do cara. Bach fica muito puto com isso e eles têm uma discussão ética e tal. Em resumo, os caras são corruptos e Bach não aceita isso.

Na noite seguinte ele tenta fugir com a esposa mais acaba sendo derrubado e sequestrado por seus ex companheiros. Ele acorda em algum lugar estranho, amarrado e pergunta pela sua mulher. “Onde está Elua?”





Ele se solta e luta contra os caras e acaba tomando um tiro. Fim da edição.

O que eu achei? Achei ruim. A arte da revista é legal, mas o roteiro é muito fraco e beeeem clichê. O grande problema da história são os personagens. O protagonista, que deveria ser carismático ao leitor, é um maluco religioso que espanca a galera. Os vilões são tão caricatos que não podiam ser nenhuma outra coisa, senão vilões.

Mas o que me incomodou de verdade foram as personagens femininas, mais exatamente a ausência delas. Só tem duas personagens femininas: Uma delas faz parte dos vilões genéricos e cumpre o papel de mulher da equipe. Ela tem 5 balões de fala em toda a história, e não tem nome; A outra é a esposa do cara que, até onde deu para entender, só vai ser vir para ser morta violentamente para justificar a dor do protagonista. Ela não é uma personagem. Ela é um gatilho.

Sobre o caso da esposa dele, procure por “Mulheres na Geladeira” e entenda por que esse tipo de coisa me incomoda.

Roteiro: Joe Kelly
Arte: Ariel Olivetti

Veja também o post sobre a HQ da Corrida Maluca.

Então é isso. Arte bonita. Roteiro fraco. Personagens mais fracos ainda. Não recomendo.
Deixe aí seu comentário.
Curta a fanpage, siga no twitter.
Compartilhe esse post.
Um abraço.
E tchal.

post publicado originalmente por mim no portal Cultura Nerd e Geek


Vulto

Desprezível.

Você pode gostar...

  • Vickawaii

    Cara, Space Ghost! Eu lembro que tinha um “quadro”/propaganda muuuuito legal no Cartoon Network que mostrada a “decadência” do Space Ghost e sua volta por cima. Que ele era um baita super herói, tinha ficado desempregado, ficou afastado por alguns anos e no fim, deu a volta por cima e passou a dar entrevistas haiusdhaida. Eu sei que essa historinha não tem nada a ver com o Space Ghost de verdade kkk mas seu post deu nostalgia <3 De qualquer forma, legal ver que o herói "voltou à ativa", pois fazia tempo que não ouvia falar nele. Pena que você não gostou do primeiro volume, mas vamos ver se melhora, né

    Beijos, Vickawaii
    http://www.neverland.com.br

    • O Space Ghost é foi um daqueles heróis que passou por mals bocados. Foi esquecido e luta para se manter no imaginário. Tomara que melhore mesmo.

      Obrigado por comentar

  • Oloko! Faz tempo que não ouço falar sobre, mas lendo o comentário da Vick me lembrei da propaganda da CN hahahahhahhaa… Só é uma pena não ter muito espaço para personagem feminina ne =/

    http://www.saidaminhalente.com

    • A falta das personagens femininas é o grande incomodo mesmo. Realmente uma pena.

      Obrigado por comentar.

  • Milca Abreu

    Putz, vou concordar com a Vick e com a Clay, mó nostalgia hahah
    Faz tempo que não leio nada do SG e é uma pena que este volume esteja bem fraco. Vou procurar pra ler aqui porque bateu a maior saudade.

    • Leia sim. Toda opinião é importante. Eu falo “se vale a pena ou não”, mas é mais pra dar uma ideia pra quem tem pouco tempo e tem que escolher muito bem o que ler.

      Mas vale a leitura sim. Sua opinião pode ser bem diferente da minha no fim das contas.

      Obrigado por comentar

  • Lembro da hora de Space Ghost Costa a Costa, era uma espécie de Talk Show.

    Tá aí: numa era de nostalgia (um tanto forçada às vezes), talvez fosse interessante ele ganhar um Live-Action.

    • O The Tick ganhou um Live action. Lembra dele?

      Obrigado por comentar