DIRTY MONEY, é série, mas é documentário e vai te deixar puto da cara. – trailer

Salve, salve, seres humanos que, assim como eu, são pobres e miseráveis.
Hoje eu quero falar de uma parda que é série, mas também é documentário. Pode chamar de uma série de documentários, ou chamar de um documentáriozão dividido em episódios. Chame como quiser. O que importa é que o nome é Dirty Money (Dinheiro Sujo), uma produção Netflix.

 

Dirty Money Netflix

 

Dirty Money é uma série sobre capitalistas filhos da puta. Se você acha que é capitalista por que não gosta de comunistas, ou qualquer outra bobagem desse tipo, lembre-se que você está mortalmente enganado. Capitalista é aquela raça de desgraçados que vive única e exclusivamente da exploração do capital e, por consequência, das pessoas. Os donos da porra toda. Aquelas pessoas que estão acima do bem e do mal por nascerem mortalmente ricos. Dirty Money é sobre isso.

E sobre escândalos envolvendo grandes empresas. Na verdade é sobre esses escândalos. A outra parte que eu falei ali em cima é por que eu estou putaço.

A séride de documentários é divida em 6 partes. Vou colar a sinopse deles aqui, mas não vou traduzir na integra, vou fazer apenas um breve comentário, para o post não ficar enorme.

Sinopses:

HARD NOx (Directed by Alex Gibney) – Gibney reveals shocking new details about VW’s corporate deceit, and exposes the unholy alliance between governments and automakers that allowed the automaker to put tens of thousands of lives at risk — all for the sake of a $500 part.

PAYDAY (Directed by Jesse Moss) – Targeting unsuspecting Americans, a group of payday lenders made millions off small loans with undisclosed charges, inflated interest rates and incomprehensible rules. But the way the laws are written, is that a crime or just business?

DRUG SHORT (Directed by Erin Lee Carr) – Wall Street short-sellers expose a scam that regulators overlook: how Big Pharma gouges patients in need of life-saving drugs.

CARTEL BANK (Directed by Kristi Jacobson) – For decades, HSBC, one of the world’s largest banks, laundered hundreds of millions of dollars for Mexican drug cartels. Senator Elizabeth Warren, dogged journalists and prosecutors try to hold the bankers to account. But will they be judged “too big to jail?”

THE MAPLE SYRUP HEIST (Directed by Brian McGinn) – In Canada, maple syrup is worth more than oil. When $20 million of syrup goes missing, the trail leads back to an epic battle between cartels and the little guy.

THE CONFIDENCE MAN (Directed by Fisher Stevens) – A rollicking profile of the rise and reign of TRUMP Inc. Weaving together a tapestry of tales in real estate booms and busts, Stevens lays out how Donald Trump’s business career transformed from epic failures into a consummate branding machine that propelled him into office.

 

 

Traduzindo e resumindo enormemente:

HARD NOx é sobre a  Volkswagen, o esquema que a empresa tem com o governo e que permite que eles coloquem milhares de vidas em risco por causa de uma peça de 500 dólares. Isso me parece aquele esquema fraudulento de recalls que o narrador comenta no Clube da Luta (review sai em breve).

PAYDAY é sobre a arte ninja dos bancos de fazer milhões de empréstimos imobiliários com regras obscuras e juros altos para gente pobre.

DRUG SHORT é sobre a indústria farmacêutica extorque pessoas que precisam de remédios para viver.

CARTEL BANK fala sobre como o HSBC financia cartéis de drogas no México e como eles são “grandes demais para prender”

THE MAPLE SYRUP HEIST fala sobre o cartel do MAPLE SYRUP (é tipo uma calda para panquecas tradicional do Canadá… e nem muito é gostoso essa merda).

THE CONFIDENCE MAN fala do nosso queridão, o primeiro presidente laranja da história dos Estados Unidos, Donald Trump, e como transformaram sua história de fracassos empresariais em uma marca de sucesso. Para quem não está ligado, Trump já conseguiu falir umas empresas que (meio que) não tinham como dar errado.

 

Chega de falação. Assiste ao trailer aí:

 




 

Eu gostei da ideia e adoro ver os podres das empresas. Especialmente quando quem está produzindo não tem dó de colocar o dedo no cu na ferida dos outros.

Acho que vai ser bem interessante.

 

 

Dirty Money estreia na Netflix no dia 26 de Janeiro.

Ah sim. Não estranha se uma das empresas citadas aparecer nas publicidades, o Google é meio burro e não entende essas coisas de crítica.

Então é isso. Isso vai ser interessante. Eu vou assistir, mais cedo ou mais tarde.
E você? Quer saber das tretas ou quer ficar de boa na sua?
Deixe sua opinião nos comentários.
Curta a fanpage, siga no twitter e no instagram.
Compartilhe esse post.
Um abraço.
E tchal.

via Geek Tyrant


Vulto

Desprezível.

Você pode gostar...

Pin It on Pinterest