Invincible Iron Man #1: A estreia da Ironhearth – resenha

Salve, salve jovenzinhas super inteligentes e muito maneiras.
Voltando a falar de quadrinhos da Marvel para falar de uma hq que eu vinha esperando há algum tempo. A nova série do Iron Man, a Invincible Iron Man (volume 3) com a mais nova personagem da Marvel, Riri Williams, a Ironhearth.

Invincible Iron Man (V3) #1 – resenha

Invincible Iron Man #1: A estreia da Ironhearth capa

 

Prelúdio: Antes mesmo de aparecer, Riri Williams é citada pelo próprio Tony Stark como uma jovem de 15 anos que conseguiu fazer engenharia reversa em uma de suas armaduras. Futuramente ela consegue montar uma armadura capenga (ela não é multi milionária como o Stark) e acaba salvando uma galera. Tony fica sabendo e ajuda ela nos reparos. Ela aparece em Guerra Civil 2 ao lado dele.  (Tudo isso acontece na revista anterior do Homem de Ferro, Invencible Iron Man, volume 2)

No fim de Guerra Civil 2, Tony Stark entra em coma. Esse é o background dessa história. Agora vamos ao review.

 

A história começa 10 anos atrás, em Chicago, onde a jovem Riri está tendo problemas na escola. Felizmente o diretor é sagaz e entende que ela está, na verdade, entediada. Ela é o que ele define como Supergênio, algo acima dos gênios normais (a Marvel está cheio deles) e que os pais precisam se esforçar para que ela não vire uma maluca retraída e, eventualmente, do mal.


Voltamos para os tempos atuais, onde nossa heroína fala sobre o desaparecimento do Tony Stark. Eles se conheceram, ele desapareceu e ela tem uma armadura. Ela se questiona se isso é o destino e se ela está pronta.

Enquanto isso ela enfrenta uma porrada de monstros que aparecem do nada na cidadezinha de Cheyenne, Wyoming, os monstros são convocados por uma vilã chamada Animax.

 

Voltamos para mais um flashback, 5 anos atrás. Riri agora tem 10 anos e está construindo algo, uma espécie de botão para automatizar coisas, enquanto a mãe dela lembra que ela precisa almoçar. Uma garotinha chega e a vê trabalhando e elas começam a ficar amigas. O nome dela é Natalie.

De volta ao tempo atual, Riri continua lutando contra os monstros. A busca termina e identifica a vilão Animax como uma mutante. Ela foi presa pelos Campeões.

 

Mais um flashback. Nessa cena Riri já tem 13 anos e as meninas estão em um churrasco. Riri já percebeu que os pais ficam repetindo pra ela que é um belo dia. Ela, enquanto adolescente babaca não curte isso, mas Natalie da um choque de realidade nela. De repente um carro com pessoas armadas passa e dispara contra todos ali. Algumas pessoas acabam baleadas.

De volta à luta, Riri descobre que, se derrubar Animax, os monstros somem, ela dispara as mãos de sua armadura e derrota a vilã. Os monstros somem, mas os policiais começam a apontar suas armas para Riri. Rola uma tensão e um dos policiais atira na cabeça dela (que está de armadura). Ela fica puta da cara, mas sai fora dali.

 

De volta em casa. Riri reclama com sua mãe que ela não tem uma I.A para sua armadura, e que não tem tempo, nem recursos, para construir uma. De repente chega um homem de preto que entrega para ela uma encomenda. Dentro do pacote tem uma caixa com um botão e os dizeres “Me aperte”.

Ela aperta.

Fim da edição!

O que eu achei? De cara já gostei da personagem. Uma personagem que é super capaz desde cedo, mas que desde criança teve uma criação boa o que faz dela uma boa pessoa. Sabe o que isso me lembra? Do Superman. E isso é ótimo.

Achei legal o fato de que os pais dela sabem da “identidade secreta”. Achei a personagem carismática. Gostei do desenho. Gostei até do roteiro do Bendis.

Em resumo: É uma revista que começa a introduzir a personagem e a carreira dela, mas faz isso de uma forma bem interessante. Eu curti e vou continuar lendo essa revista.

Será que a Riri vai entrar junto com a Miss Marvel na minha listinha de heroínas do coração? Espero que sim.





 

Roteiro: Brian Michael Bendis
Arte: Stefano Caselli
Cores: Marte Garcia

Então é isso. Ta aí uma nova heroína que parece que vai ser bem legal.
Eu gostei. E você? O que acha dessa nova personagem?
Deixe aí seu comentário.
Curta a fanpage, siga no twitter.
Compartilhe esse post.
Um abraço.
E tchal.

Vulto

Desprezível.

Você pode gostar...