Mulheres Aranha Alpha #1 (comics) – resenha

Salve, salve, mulheres picadas por aranhas radioativas.
Voltando a falar de quadrinhos da Marvel hoje eu quero falar de uma hq da Marvel que saiu no ano passado. Uma hq chamada Mulheres Aranha Alpha.

Mulheres Aranha #1 cover
Eu não estou acompanhando as revistas mensais de nenhuma das personagens e também não li Spiderverse, então não sei exatamente o que está acontecendo com as personagens. Estou lendo às cegas.

A história começa mostrando alguns bandidos roubando algo e sendo espancados pela Spider Gwen. Isso se passa na terra-65. Enquanto ela bate nos caras alguém observa ela nas sombras e conversa com um chefe, ou algo assim. A Spider Gwen vai para um telhado, onde troca de roupa e usa um aparelho para viajar entre as dimensões.


Gwen chega na terra616 (terra principal da Marvel) e encontra Cindy Moon, a Seda,  elas partem para a casa da Jessica Drew, a Mulher Aranha, que está esperando uma babá. Rola uma interação com o bebê, até que Roger, a babá, chega para salvar o dia.

Elas tentam decidir um lugar para comer e a Gwen propõe um lugar na terra dela, a Terra65. Elas vão comer em lugar maneiro e conversam com a Jessica como é ser mãe. Questionam o fato de que a Seda trabalha como agente dupla, estando infiltrada na operação da Gata Negra. Seda sai para brincar na piscina de bolinhas e, enquanto isso, Gwen comenta que acha ela estranha e a Jessica explica um pouco de como a vida dela é maluca e ela não teve infância.

O observador misterioso, do começo da história, vê as três juntas e decidi pedir reforços. Um robô gigante, chamado Superadaptoide, chega para atacar a cidade. Elas se vestem e caem na porrada com o robô e o derrotam facilmente com a liderança da Mulher Aranha. Enquanto isso observador rouba o relógio de viagem dimensional da Gwen.

Enquanto as meninas discutem o que fazer, o vilão observador ladrão volta para sua base de operações, que parece ser a SHIELD desse universo. Lá ele passa por Doutor Octopus e entrega o dispositivo para a sua chefe, a Cindy Moon desse universo.




Fim da edição

O que eu achei? Já me “acusaram” de ser alguém que propaga “propaganda feminazi” aqui no site e quem me conhece sabe que eu adoro personagens femininas. É claro que eu gostei dessa história. A arte é legal. O roteiro é interessante, mesmo para mim que não estou por dentro do que está acontecendo no universo Aranha.

E o que mais me agrada são os diálogos. Fica muito clara a personalidade das três personagens mesmo elas sendo todas mulheres heroínas com poderes parecidos. Elas são muito diferentes e muito interessantes.


Roteiro: Robbie Thompison

Arte: Vanesa Del Rey
Cores: Jardie Bellaire

Então é isso. Gostei da hq. Recomendo.
Leia a hq ou, caso já tenha lido, diz aí o que achou.
Curta a fanpage, siga no twitter.
Compartilhe esse post.
Um abraço.
E tchal.


Vulto

Desprezível.

Você pode gostar...