Vingadores, nova fase, nova equipe (V7) #1 – resenha

Salve, salve, seres humanos, deuses, semideuses, robôs e super caras da terra.

Hoje é quarta feira, dia de falar que quadrinhos. A Guerra Civil 2 acabou, a parte jovem dos Vingadores debandaram da equipe (e fundaram os Campeões), Tony Stark está em coma e agora o time está desfalcado. Nesse cenário um novo time de Vingadores é necessário.

Vingadores (volume 7) #1 – resenha

Vingadores

A história começa com Hércules (que está com um trabuco por algum motivo) e o que restou dos Vingadores, Capitão América (Sam Wilson), Thor (Jane Foster) e a nova Vespa, enfrentando um lobo gigante poderoso de algum lugar de um mundo inferior. Eles derrotam esse lobão na porrada e convidam o Hércules para fazer parte da nova equipe.

Dali eles partem para um encontro com Peter Parker, o chefão multimilionário das indústrias Parker. A saber: Peter Parker agora é o novo ricaço do universo Marvel e para todos os efeitos o Homem Aranha é seu guarda costas, assim como o Homem de Ferro já foi guarda costas do Tony Stark das antigas.

Parker quer ser o novo financiador dos Vingadores e oferece todo o equipamento e recursos para a equipe. Enquanto eles conversam uma explosão acontece em algum lugar em Nova York, e os Vingadores partem para a ação.

Visão está enfrentando Kang, o viajante do tempo, e Kang está procurando uma criança que o Visão teria escondido. Rola uma porradaria. Kang se divide em dois (Kang e Centurião Escarlate), os Vingadores e, posteriormente o Homem Aranha, chegam para a porrada. Kang dá uma coça no Visão e tenta acessar a mente do Sintozoide para descobrir onde ele deixou a criança, mas Visão diz que apagou a própria memória. Kang foge e os Vingadores se reagrupam no edifício Baxter (que agora pertence ao Parker e é a nova sede dos Vingadores) para tratar o Visão.


Visão
conta que não é a primeira vez que Kang se divide em dois e que não foi Kang que o atacou. Visão revela que depois de tantas vezes em que Kang atacou os Vingadores, ele próprio, o Visão, resolveu viajar no tempo e sequestrar o bebê Kang para impedi-lo de tornar-se um vilão.

Os vilões fazem um plano para descobrir onde está o bebê. Eles rastreiam o passado do Visão para encontrar onde ele perdeu a memória. Com isso, facilmente, eles descobre onde o bebê está. Não satisfeitos, eles decidem se vingar e começam a atacar os Vingadores ainda em seu nascimento.





Fim da Edição

O que eu achei? É muito difícil pra essa nova formação dos Vingadores competir com a anterior, que tinha o Miles Morales e a Miss Marvel. Essa versão tem o Hércules, que não tem a menor graça, e já começa com uma megatreta de viagem no tempo envolvendo o Kang. Não sei se é a melhor ideia.

Nem esse Homem Aranha é divertido, ele parece um Tony Stark outra vez.

Não curti tanto a história, não curti tanto a formação e a arte me incomodou um pouco. Essa arte super estilizada funciona muito bem em algumas páginas, mas ficou uma grande bosta em outras. Não curti muito.

Em resumo: Ta em dúvida se deve ler essa nova fase de Vingadores? Leia Champions que é mais legal.

Roteiro: Mark Waid
Arte: Mike Del Mundo
Cores: Mike Del Mundo e Marco D’alfonso

Então é isso. Achei a revista meio chatinha. Nem a Thor conseguiu salvar.
Leia por sua conta e risco.
Deixe aí seu comentário.
Curta a fanpage, siga no twitter.
Compartilhe esse post.
Um abraço.
E tchal.

post publica originalmente por mim no portal Cultura Nerd e Geek


Vulto

Desprezível.

Você pode gostar...

Pin It on Pinterest