Poilus, um curta na primeira guerra mundial

Salve, salve, seres humanos e coelhos antropomórficos da terra.
Hoje é Domingo, dia de evento, mas isso não quer dizer que não vai ter post. O post é sobre um curta que apareceu para mim quando eu estava revendo o Backwater Gospel (recomendo, vejam lá), e é bom pra caramba. O nome do curta é Poilus e eu não podia deixar de trazer para cá.

 

Poilus

 

A sinopse é a seguinte:

The “Poilus” are waiting to leave for the battlefield.
Among them, Ferdinand, a young hare, is playing the harmonica.
A whistling signal is given, the attack begins.
It’s on the no man’s land that he first encounters his enemy, a horrible creature.

Traduzindo:

Os Poilus (peludos?) estão esperando para deixar o campo de batalha.
Entre eles, Ferdinand, um jovem coelho, está tocando a harmônica.
Um sinal é dado, o ataque começa.
É na terra de ninguém que ele encontra seu inimigo, uma criatura horrível.

 

Assiste aí que é incrível:

 




 

Você achou que tudo ia terminar bem por conta do “poder da música”? Por um momento eu também achei, mas todos erramos.

Acho que o mote da história é que o inimigo não é nenhum monstro. No fim, quase não da para ver diferença entre os “aliados” e os “inimigos”. São todos bem parecidos.

Gostei bastante do curta. Ele transita entre a fofura e o horror da primeira guerra mundial de forma bem legal.

 

 

Se você gosta de curta metragens, veja também essas outras postagens:
FIREBASE – tretas mais loucas que Arquivo X na guerra do Vietnam
Down of the Deaf – curta de zumbis focado na população surda
Planemah – um rei com dúvida existencial
Symmetropia – medo de simetrias
Breathe – dois caras, um espírito

Poilus foi produzido pela CGMeetUp no ano passado. Visite o site dos caras que tem muita coisa que parece interessante, mas eu ainda não vi ainda.

Então é isso. Curta bem legal. Gostei, mas fiquei chateado.
E você? Esperava o pior? Ficou triste com o final?
Deixe aí sua opinião nos comentários.
Curta a fanpage, siga no twitter e no instagram.
Compartilhe esse post.
Um abraço.
E tchal.

 


Vulto

Desprezível.

Você pode gostar...

Pin It on Pinterest